Sobre os pequenos momentos de felicidade – aproveitando minha própria companhia

Numa sexta-feira,comum como qualquer outra, fui ao bairro da Glória, na zona sul aqui do Rio de Janeiro, para buscar um jogo que eu havia comprado no site de uma loja de lá – aproveitei o desconto da Black Friday pra conseguir comprar o jogo de cartas Sushi Go, um game super fofo que eu prometo que ainda mostrarei por aqui 😉
Para alguns, este poderia ser um acontecimento banal, sem grandes expectativas ou surpresas, mas para mim foi uma mini-aventura, e eu já vou dizer o porquê.
Embora eu já seja adulta, com meus cof.. cof…, um quarto de século de idade (façam as contas aí; brincadeira, 25 anos ^^’), não costumo sair muito sozinha, especialmente quando se trata de lugares mais distantes de onde eu moro. Talvez por falta de confiança em mim mesma, ou por medo de me perder estando sozinha, quando vou a lugares novos sozinha e “na cara e na coragem”, me sinto super bem por essa pequena vitória, por me dar conta de que sou capaz de fazer algo com minhas próprias mãos.
E assim, aquela viagem que estava me dando um friozinho na barriga no dia anterior, se tornou um dia bem inusitado e feliz, com uma apreciação de minha própria companhia enquanto descobria novos lugares – que pretendo visitar novamente muito em breve *-*
E como parte dessa minha mini-aventura, andei da Glória até a Cinelândia (estação de metrô que fica na Praça Marechal Floriano, no centro do Rio, que graças à inauguração de cinemas no entorno desta praça no século XX, ficou popularmente conhecida por Cinelândia), onde fui em busca de uma Starbucks dali para tomar uma das novas bebidas de Natal. Experimentei o Frappuccino Cranberry Mocha Branco (que é uma delícia, inclusive!) e aproveitei para continuar a leitura que estava fazendo até chegar na Glória – quase terminei o livro nesse dia, dada a distância da minha casa até o destino daquele dia 😅

leitura_bebida.jpg
Foi o complemento perfeito para minha mini-aventura do dia! Esse livro aí da foto, escrito pela monja budista francesa Kankyo Tannier, fala exatamente de aproveitar esses momentos de aparente solidão em que nos redescobrimos, aproveitando nossa própria companhia, nossos próprios pensamentos, observando o mundo a nossa volta com paz, calma e tranquilidade.
(saiba mais sobre o A Magia do Silêncio no site da editora Sextante: http://www.esextante.com.br/livros/a-magia-do-silencio/).
Na volta para casa, continuei minha leitura, parando para ocasionais cochilos durante a longa viagem de ônibus (pois sou dessas que fica com sono num dia de calor :p), e nisso me veio a ideia de registrar esta experiência aqui no blog, surgindo assim este pequeno porém sincero relato desta blogueira que vos escreve.

 

Isso é tudo, pessoal!

6 ON 6 – Black & White

Como diria a bruxa do Pica-Pau: E lá vamos nós… para mais um post de 6 on 6 proposto pelo grupo Interative-se.
O tema deste mês (e o último do ano já! :O) é Preto e Branco, e para ilustrar o post da vez, trouxe aqui momentos aleatórios do meu cotidiano que tirei ao longo dos últimos dias (do final do mês passado, até o começo deste mês).
6ON6-dez016ON6-dez026ON6-dez036ON6-dez046ON6-dez056ON6-dez06

1. Amizades de longa data
No final de novembro fui à festa de aniversário de uma amiga da faculdade que eu não via literalmente a anos!
Desde que terminamos a faculdade, em agosto de 2015, eu e mais um grupo de amigos – inseparáveis quando estudamos juntos – nos vimos no máximo umas duas vezes devidos às circunstancias da vida (outros estudos, trabalhos, família e afins). Enfim, fiquei hiper feliz de poder rever essa amiga tão querida (parabéns Raquel!) e poder, com ela e mais outro amigo (Gleds *-*), comemorar mais um ano de vida dessa mulher maravilha da vida real! E não a toa, o tema da festa dela foi Mulher Maravilha, como vocês podem ver (espero ^^’) por esse cupcake super estiloso e Girl Power 😉
2. Um dia para aproveitar minha própria companhia
Na última sexta-feira (30/11/2018), fui à uma loja na região central aqui do Rio buscar um jogo que havia comprado na Black Friday, e o que era para ser apenas uma visita a uma nova loja acabou sendo uma mini-aventura minha pelo centro, comigo indo parar numa Starbucks, onde parei para ler um pouquinho enquanto bebia meu Frappuccino e registrava essa foto.
O livro, a mini aventura e a bebida casaram muito com a vibe que eu estou buscando nos últimos tempos, e eu me senti tão bem nesse dia que me senti inspirada a falar mais sobre este dia num post futuro. Aguardem ^_^
3. Lendo em companhia felina
Essa semana, enquanto lia o livro da foto, parei um minuto para fazer outra coisa e quando voltei, uma das minhas amigas felinas estava ali, pertinho do livro, rendendo esta foto que eu gostei bastante ❤
4. Dia frio e chuvoso pede comida quentinha
Ainda nessa semana, minha mãe fez um caldo verde de agrião que estava simplesmente divino – e é claro que eu não poderia deixar de registra-lo em foto com o Chef Snape (que já está virando mascote aqui do blog ^^’).
Mais pra frente vou ver se faço um post com a receita desse caldo verde e trago aqui pra vocês *-*
5. Christmas is coming
Na última terça-feira (04/12/2018) foi aniversário da minha avó materna, e para comemorar mais uma primavera de vida dela, eu, minha mãe e minha tia a levamos para passear num shopping aqui do meu bairro. Como está tudo enfeitado para o Natal, aproveitamos para fazer um registro natalino em frente a uma das árvores que decoram a área externa do shopping.
Na foto, minha mãe, eu, e minha avó: as três gerações da família ❤ (só faltou minha tia, que foi a fotógrafa da vez)
6. See you next year!
Por fim, Mickey Jack (carinhosamente apelidado assim por minha amiga Carla) passou por aqui para desejar um final de 2018 e começo de 2019 recheado de boas leituras para todos e todas!
Ps.: As fotos desse 6 on 6 podem ser encontradas no meu Instagram também, devidamente coloridinhas: https://www.instagram.com/bells_granger/

Leia também os posts dos blogs que participaram do projeto este mês:
Fernanda (Conduta Literária) | Cilene (Mora Dia & Noite)

[Dreamcatcher] Aconchego

Dreamcather4-1
Existem muitas coisas de que eu gosto no mundo: minha família, meus animais e meus amigos estão no topo da lista, sem dúvida, seguidos logo depois dos livros e do café e chocolate. Mas estas coisas, pessoas e bichinhos que eu tanto amo me remetem a algo que eu acredito que seja o real motivo de eu gostar tanto assim delas – o aconchego.

É aquela sensação de “quentinho no coração” que a gente sente ao terminar uma bela história. A emoção ao reencontrar alguns amigos e familiares que não vemos a muito tempo. O carinho que nossos bichinhos nos dão ao chegarem perto da gente pedindo colo.
Dreamcather4-2
Adoro acordar cedinho, antes de todo mundo na casa, e preparar o café, bebendo-o logo em seguida enquanto termino de ler aquele capítulo do livro que estava lendo na noite anterior mas que acabei pegando no sono antes de concluir (faço muito isso ^^’).

Amo caminhar de manhã pelo meu bairro, ouvindo música ou o Nerdcast – meu podcast favorito da VIDA! -, vendo as pessoas da vizinhança também caminhando ou correndo, apreciando a paisagem (eu moro literalmente no mato, então a vista é linda <3).

Gosto muito de colocar minhas meias à noite para dormir mesmo nos dias de calor (inevitáveis na maior parte do ano aqui no Rio de Janeiro), e quando está frio ou mais fresco, aproveitar para beber um chá de hortelã com mel antes de dormir – que inclusive me ajuda a acalmar a mente quando estou agitada, nervosa ou ansiosa com alguma coisa.
Dreamcather4-3
Tudo isso – e mais um pouco! – me dá uma sensação de paz e tranquilidade, de que tudo vai dar certo no final e as coisas vão se resolver mesmo quando parece que não há solução. E assim, daquilo que me é favorito no Terra, o aconchego é sem dúvida a minha “coisa” favorita.

Este post faz parte do Dreamcatcher Project, um projeto de blogagem coletiva idealizada e organizada pelo grupo A Corte Vermelha.
Visite também os outros blogs que participaram do projeto este mês:
Do blog Banshuu TV: Quais são minhas coisas favoritas na Terra?
Do blog Memorialices: Nunca sonhei que fosse peculiar

[Receita] Lasanha de espinafre com requeijão

Faz tempo que eu queria fazer uma lasanha mais caseira aqui em casa, pois desde que essas lasanhas congeladas viraram “moda”, meus pais só querem saber dela (até porque é beeeem mais prática), que apesar de ser gostosa, nem se compara com a tradicional, feita com aquela massa em folhas *-*
Por isso, quando vi uma receita na Internet ensinando a fazer uma lasanha diferente da famosa bolonhesa (carne, queijo e presunto), resolvi adaptar pra essa versão vegetariana, que ficou uma delícia e agora trago aqui a receita pra vocês. Vamos lá?

Ingredientes:
– 1 pacote pequeno de massa para lasanha (folhas)
– 1 molho de espinafre
– massa de tomate
– requeijão
– queijo ralado
– cebola, alho e óleo
– sal, pimenta do reino, orégano e demais temperos de sua preferência a gosto
Preparo:
Comece dourando a cebola e o alho para preparar a massa de tomate; lembre-se de fazer uma quantidade suficiente para que as folhas da lasanha fiquem bem molhadinhas.
Acrescente então a massa de tomate e os temperos de sua preferência e reserve.
Numa outra panela, refogue as folhas de espinafre lavadas e cortadas em pedaços médios. Reserve-as e vamos à montagem da lasanha.
Num refratário de alumínio, coloque uma boa quantidade do molho preparado e em seguida coloque parte das folhas de massa para lasanha. Acrescente então um pouco das folhas de espinafre refogadas e um pouco do requeijão.
Repita o procedimento das folhas de massa, espinafre e requeijão mais uma vez, lembrando sempre de colocar bastante molho após colocar a massa para lasanha, e finalize com mais uma camada de massa e molho. Caso queira, também poderá acrescentar uma camada de queijo mussarela antes desta camada de massa.
lasanha1
Finalize então com o queijo ralado a gosto, cubra com papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido a 180°C por aproximadamente 30 minutos.
lasanha2
Chef Snape recomenda servi-la acompanhada de salada verde 😉

Rendimento: 6 porções
Créditos: Minha mãe (por ter me ensinado e fazer a versão “original”) e eu mesma, que adaptei a versão dela ^-^

6 on 6 – Books everywhere

Meu segundo 6 on 6 e ele não poderia ser mais especial: Livros *-* (agradeço muitíssimo ao Interative-se pela oportunidade de participar do projeto e pelo tema maravilhoso!). Os livros são a minha vida em muitos sentidos, e por isso selecionei as fotos que retratam esses objetos tão especiais em seus mais variados momentos.
6ON6-Nov-016ON6-Nov-026ON6-Nov-036ON6-Nov-046ON6-Nov-056ON6-Nov-06
1. Leitura com café: Café pra mim combina com tudo, e com livros então… nem se fala! Nada se compara à sensação de tomar um café quentinho logo pela manhã acompanhada da minha leitura atual (seja ela física ou em e-book!), então por isso, nada mais justo do que abrir esse 6 on 6 com uma foto que eu tirei no começo deste ano (a única foto que não tirei hoje, eu juro!) na Starbucks com o livro que eu tinha acaba de buscar na livraria da minha cidade e que inclusive será uma das leituras que eu pretendo fazer no mês que vem – AMO esses livros temáticos *-*
2. Marcadores: Eu comecei a colecionar marcadores na Bienal do livro de 2011 graças a uma amiga (valeu, Carla!). Lembro que no dia que visitamos essa edição da Bienal juntas, peguei muuuuitos marcadores pelos estandes das editoras, saindo de lá com uma bolsa cheia; e o “vício” não parou por aí, pois depois, sempre que ia a uma livraria física, eu pegava mais alguns e assim só ia aumentando a minha coleção *-* Esses da foto não são meus, mas da minha mãe (os meus só cabem agora em caixas XD), mas achei legal tirar a foto deles assim, pois estão arrumadinhos no copinho da Starbucks que eu dei pra mainha ❤
3. Decoração: Amo decorar tudo com bonecos, flores, velas e etc., e é claro que com os livros não poderia ser diferente. Todas as prateleiras aqui de casa que possuem livros tem também algum objeto decorativo, e de vez em quando eu ainda tento “casar” com a temática dos livros que estão ali (sem muito sucesso, mas o que vale é a intenção ^^’). Na foto está minha coleção de clássicos de bolso da Zahar (um dia ainda terei todos dessa coleção maravilhosa *-*), além de outros livros de bolso – já que a prateleira é pequena e só cabem os livrinhos -, junto com meus bonecos de gatinhos e uma vela aromática de cappuccino (também de mainha <3)
4. Ecobag: Além de ser a louca dos marcadores, também sou a das ecobags, essas bolsinhas de pano que a gente ganha em eventos literários ou até comprando determinados livros em pré-venda. Elas são ótimas para sair, seja para fazer compras, ir ao banco (essa não tem risco de apitar na chata da porta giratória :p) e obviamente, para carregar nossos amados livros por aí. Essa da foto eu ganhei especialmente na Bienal do Livro de 2013, no estante da Estante Virtual (era só jogar um joguinho deles lá na hora e você ganhava essa ecobag linda *-*).
5. Post-its: Que leitor que não gosta de marcar suas frases favoritas nos livros, né?! Seja para fazer resenhas (é bem útil!) ou mesmo para se inspirar mais tarde, adoro usar esses post-its pequenininhos para fazer marcações ao longo do livro (Deus que me livre de riscar meus bebês de papel O.O). Este é o livro (físico) que estou lendo atualmente com suas inúmeras marcações – e muitas outras ainda estão por vir, garanto!
6. Trabalho: Como eu disse no começo do post, os livros são a minha vida em diversos sentidos. Seja como hobby, academicamente (pesquisadora de Literatura se apresentando ^^’) ou profissionalmente, eles estão sempre a minha volta, e para reforçar isso, está aí a prova “viva” do meu trabalho – atualmente, como freelancer: criação de livros. Eu trabalhei por dois anos numa livraria que também era editora, atuando assim nos dois setores da empresa: como livreira e como diagramadora e capista. Foram dois dos melhores anos da minha vida e eu sinto uma enorme saudade de trabalhar lá; e o legado que essa experiência profissional me deixou foi abrir as portas para poder mais tarde trabalhar com aquilo que eu amo, que é a leitura. Hoje estou desempregada mas trabalho em casa com a diagramação e criação de capas de autores que já conhecem meu trabalho e confiam nele, mas espero um dia ter a oportunidade de poder atuar em uma editora como já fiz no passado.

Participaram do projeto este mês os blogs:
Memorialices (Luana)
Amável casa (Mari)
Levando a sério (Anália)

E assim encerro o post do 6 on 6 deste mês. Espero que tenham gostado, beijinhos a todos e até a próxima!
Câmbio e desligo.

[Dreamcatcher] Playlist “This is Halloween”

Quando eu descobri o tema do Dreamcatcher Project do mês fiquei tão empolgada quanto havia ficado com o tema do mês passado (Harry Potter), afinal o Halloween é uma das festas de que eu mais amo no mundo depois da Páscoa. Mas ao mesmo tempo pintou aquela dúvida: tá, mas sobre o que eu vou escrever? E pensando em algo “diferente”, decidi criar uma playlist “macabrinha”, com músicas de filmes dessa época gostosa – e aproveito para deixar aqui algumas indicações cinematográficas pra vocês – e outras de Rock (especialmente o Sinfônico!) que eu gosto e que acho que têm tudo a ver com o Halloween.
Curioso(a)? Então confira a seguir a lista das músicas e ouça-as no Spotify 😉

1. Double Trouble (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban/Harry Potter and the Prisoner of Azkaban)
2. Do the Hippogriff (Harry Potter e o Cálice de Fogo/Harry Potter and the Goblet of Fire)
3. This is Halloween (O estranho mundo de Jack/The Nightmare before Christimas)
4. I Put A Spell On You (Abracadabra/Hocus Pocus)
5. Day-O: The Banana Boat Song (Os fantasmas se divertem/Beetlejuice)
6. Fear of the Dark (Iron Maden)
7. Bring me to life (Evannescence)
8. Nemo (Nightwish)
9. Cry for the moon (Epica)
10. Thriller (Michael Jackson)
11. Highway to Hell (AC/DC)

https://open.spotify.com/playlist/2XaNpf9pqxhyeNscP9cIUj

dreamcatcher2.gif

Visite também os outros blogs que participaram do projeto este mês:
Do blog Memorialices: Checklist para outubro
Do blog Banshuu TV: Coisas sombrias no mundo das princesas Disney
Do blog Sweet Luly: Maquiagem Zomby Gaga para o Halloween (e Lookbook!)
Do blog Simplesmente Criativa: Séries e filmes para o Halloween

dreamcatcher3

[Primeira Impressões] AquaRio 🐠🐚🐙

AquaRio0
Para maiores informações, acesse: https://www.aquariomarinhodorio.com.br/

Localizado na Praça Muhammad Ali, próximo ao Museu do Amanhã e ao Museu de Arte do Rio, na zona portuária do Rio de Janeiro, o AquaRio – Porto Maravilha foi mais uma das idealizações do governo do ex-prefeito da cidade, Eduardo Paes. Bem, não entrarei aqui no mérito da nossa prefeitura para não causar polêmica ou afins (haja vista o período tenso que estamos vivendo em nossa política), mas sim contarei um pouco da minha experiência visitando o local pela primeira vez.

Logo que entramos no espaço destinado à visitação, nos deparamos com pequenos aquários de parede (desses parecidos com TVs de plasma) com peixes de várias espécies e bem pequenos em sua grande maioria. E acima de cada um desses aquários, há uma tela de TV mostrando nome, foto e um pouco sobre a espécie que se encontra no aquário. A ideia dessas telas é até interessante, já que o espaço em si é bem escuro, contendo luz apenas dentro dos aquários, só que as informações sobre cada peixe, molusco, crustáceo, entre outros, muda muito rápido, o que dificulta a leitura e consequentemente aprendizado do visitante, que acaba assim optando por apenas observar os aquários – sem falar que em algumas telas existiam informações sobre peixes que não estavam no aquário a que se referiam, o que ficou ainda mais confuso.

 

(O aquário onde fica o famoso Peixe-Palhaço, nosso eterno Nemo, e um aquário com arrais e um “mini-tubarão” que eu não lembro exatamente o nome)

Existe também uma área onde um instrutor do AquaRio mostra digitalmente como são algumas espécies marinhas por fora e por dentro, contando como funciona seu esqueleto e órgãos internos para sua sobrevivência. Esta foi, a meu ver, uma das partes mais interessantes do “museu”, já que eu AMO aprender mais sobre qualquer coisa *-*

Outra área disponível para visitação é o tanque onde é possível tocar algumas espécies vivas, e pelo que parece, não prejudica os bichinhos, já que eles só permitem que os visitantes os toquem com um dedo e apenas numa pequena região delimitada, e isso após lavarmos bem as mãos; fora que esse tanque só funciona de segunda a sexta, permitindo assim que os animais descansem aos finais de semana.

Agora, a parte mais bonita de todas – e a mais esperada, eu imagino -, é o túnel.
AquaRio1

(minha tia e minha avó a caminho do túnel)

Sabe aqueles túneis que te fazem se sentir no fundo do mar? Pois é exatamente este tipo de túnel que está lá. Nele encontramos espécies maiores do que as dos aquários, e a coisa mais linda de se ver. As crianças que estavam visitando o AquaRio ficaram encantadas, e mesmo nós, adultos, não deixamos de nos encantar por toda aquela beleza.

AquaRio2

(eu e minha avó dentro do túnel – é a coisa mais linda do mundo!)

Depois desse túnel, encerrando assim a visitação do AquaRio, há um pequeno museu com conchas dos mais variados lugares, todas de uma beleza singular. Pena que meu celular já estava descarregando e eu acabei não podendo tirar fotos de lá, mas prometo que se um dia eu voltar, mostrarei as fotos a vocês 😉

A meu ver, o AquaRio ainda precisa melhorar bastante – especialmente no que diz respeito ao acesso de informações -, e o preço também não ajuda (eu só fui graças à minha tia, que pagou meia entrada e tem direito a um acompanhante), mas ele é de fato um grande avanço na questão cultural da cidade do Rio de Janeiro. Uma oportunidade bem bacana de conhecer e aprender mais sobre vida marinha, dando assim o devido respeito que estes seres tão enigmáticos quanto belos merecem.